Pesquisar no Blog

Há Discípulos Hoje?

Postado por Roberto Marques,

  Que é um discípulo? Quais são os requisitos do discipulado? Quem são os discípulos hoje? Você é um discípulo de Jesus? Há discípulos hoje?

 1. O DISCIPULADO COM JESUS
  • Marcos 3:13-19
- O discipulado existia antes do ministério terrestre de Jesus.
- Isso acontecia com gregos, judeus, chineses e outras culturas antigas.

a) Discipulado entre os gregos
- Na cultura grega, a palavra discípulo (mathetes) significava: aluno, aprendiz, adepto.
- A tradição era que os estudantes escolhessem o mestre.
- Os estudantes, e não o mestre, iniciavam a relação (Jo 12:20,21).
- Era comum que os mestres cobrassem uma taxa de seus alunos.
- Conclusão: O discipulado grego não era o modelo de Cristo.



b) Discipulado entre os judeus
- Os mestres eram muito conceituados entre os judeus.
- Do mundo inteiro, eles atraiam alunos a Jerusalém.
- Um judeu que desejasse tornar-se rabino começava seu aprendizado ainda muito jovem.
- A exemplo dos gregos, os mestres judeus não discipulavam, mas apenas “instruíam” (At5:34;22:3).
- Conclusão: O discipulado judaico, também, não era o modelo de Cristo.
c) Discipulado com Jesus
- Como na tradição grega e judaica, Jesus tinha Seus discípulos.
- Entretanto, ser discípulo de Jesus era mais que ser um aluno, aprendiz ou adepto (modelos grego e judaico).
- Ser discípulo de Jesus envolvia pelo menos cinco diferenças:
(1) o chamado;
(2) o abandono material e afetivo;
(3) o recebimento de poder;
(4) o envio a lugares hostis; e
(5) possibilidade de morte (Mc2:14;Mt4:18-20;16:24,25; Mc16:17,18).
- Portanto, não existia a figura do “discípulo que ficava” ou “meio discípulo”, ou “discípulo de segundo nível”.
- Jesus só escolheu doze homens para serem Seus discípulos, nenhuma mulher (Mc3:13).
- Os discípulos tinham que depender totalmente de sua missão (Mt10:9,10).
- Conclusão: Ou era discípulo ou não era - não podia ser “meio discípulo”.
d) Uma comunidade de crentes: a Igreja
- Além dos discípulos, existia um grupo maior que Jesus chamava de "minha igreja" ou “igreja” (Mat16:18;18:17).
- Algumas traduções para a língua portuguesa pecaram chamando os crentes de “discípulos” (correto BV e BLH: Mt27:57;At6:1,2;9:36;11:26;26:28;1Pe 4:16).
- Os escritores bíblicos, usaram expressões tais como: "crentes”, "irmãos”, "escolhidos", “fiéis”, "servos de Deus”; “Servos de Cristo Jesus", "santos", “igreja”, "igreja de Deus”, etc (At4:32;5:14;6:3;Col 3:12;Tm 4:12;Ro 6:22; At12:5;Fil 1:1).
- “Cristãos" foi um apelido ou galhofa dado pelos não-crentes aos adeptos e partidários dos ensinamentos de Jesus (At11:26).
- Para os de fora, a comunidade de crente era chamada de "O Caminho" (At 9:2; 19:9, 23; 22:4).
- Os que aceitavam a Cristo constituíam, além dos discípulos, uma “multidão de crentes” (At5:14).
- Conclusão: Os discípulos formavam um grupo distinto dos demais crentes em Jesus (a Igreja).
2. O DISCIPULADO NA IGREJA PRIMITIVA
  • Rom 12:6-8;1Cor 12: 28-30; Fil 4:11
- O discipulado de Cristo deixou de existir quando Jesus ascendeu ao Céu (não existe discípulo “sem mestre”).
- Os discípulos de Jesus se tornaram “apóstolos”  (At1:26;4:35,37;8:14;1Co15:7).
- O termo "apóstolo" literalmente significa alguém enviado numa missão, mensageiro delegado, embaixador.
- Paulo era um apostolo, isto é, um “enviado” ou “missionário”.
- À igreja também foi concedido um número variado de dons espirituais, mas não o dom do “discipulado”(1Co12;13,etc).
- Por isso, historicamente esse período (século I) da Igreja é chamado “Apostólico”, ou “Igreja Apostólica”,
- Muitos crentes possuíam ocupações destacadas na sociedade: Cornélio era centurião; Lídia, vendedora de tecidos púrpura; Dorcas, ótima costureira; Áquila e Priscila fabricavam tendas; José de Arimatéia era rico e influente...
- A comunidade de crentes sustentava o trabalho dos verdadeiros discípulos/apóstolos (At4:32-37).
- Conclusão: Não existia a figura, o ofício ou dom de “discípulo” na igreja do primeiro século.
CONCLUSÃO
- A evidência bíblica descarta a possibilidade de que possa haver discípulos após a ascensão de Cristo ao Céu.
- Mesmo o ofício de “apóstolo” só existiu na Igreja no primeiro século.
- Seria impossível para alguém hoje ser um “discípulo de Cristo” ou "apóstolo de Cristo".
- A função do discípulo continua na Igreja hoje – não em pessoas que se autodenominam discípulos e epóstolos, mas no Novo Testamento.
- Os discípulos do primeiro século vivem hoje na Igreja através dos seus ensinis e apostolados - a Palavra e obra deixada por Deus por intermédio deles.
- Devemos nos contentar em sermos a “Igreja de Cristo”, o "corpo" do qual é Ele a cabeça.
- È nosso privilégio ser contados entre os “eleitos” de Deus.
- É nossa obrigação utilizar os ofícios e dons que Cristo concedeu à Sua Igreja.
- É suficiente sermos conhecidos como aqueles que crêem em Jesus e dão testemunho da Sua Palavra.
- Devemos sim, buscar a função destinada a Igreja de Cristo: o “sacerdócio santo” (1Pd2:5,9).

Para Pensar:
1. Não seria hoje, a formação de "discípulos" nas igrejas um meio de arregimentar mão-de-obra proselitista?
2. O que Jesus ordenou ou prometeu aos Seus discípulos seria também válidos para nós hoje?

Related Posts with Thumbnails