Pesquisar no Blog

“Meu trabalho é minha adoração”

Postado por Roberto Marques,

"E, tudo quando fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor e não aos homens, sabendo que recebereis do senhor o galardão da herança, porque a Cristo, o Senhor, servis" (Cl 3.23,24).

A palavra bíblica traduzida por “igreja” é eklesia (ou eclesia). A raiz do significado de eklesia é simplesmente “o povo de Deus”. A Igreja de Cristo existe em duas formas distintas: a igreja reunida (as congregações, At 16.5) e a igreja dispersa (o ambiente de trabalho, At 20.28). As duas são a verdadeira igreja. Como igreja precisamos ultrapassar as paredes físicas do templo e ministrar onde quer que nos encontremos, e isso inclui o local de trabalho.

A palavra grega do NT traduzida por “ministério” é diakonia, que também é utilizada para “serviço”. O termo que os primeiros cristãos escolheram para descrever a sua adoração foi leitourgía, uma palavra que, como a hebraica avodah podia indicar “adoração ritual”, mas também “serviço público”.

De fato, a palavra hebraica para trabalho é avodah, a mesma palavra utilizada para “adoração, ministério e serviço” (Gn 29.27; 1Cr 28.21; Ez 44.14). Na verdade, quando prestamos qualquer serviço, estamos fazendo “como para o Senhor e não para os homens” (Cl 3.23; cf. Mt 25.40). Quando servimos a alguém, servimos a Cristo. O trabalho também faz parte de “tudo” o que fazemos “para a glória de Deus” (1Co 10.31). Uns serão ministros no ambiente congregacional e outros ministros no ambiente de trabalho.

Precisamos compreender que “aquilo que os cristãos fazem no ambiente de trabalho é uma forma legítima de ministério cristão. [...] O que fazemos no ambiente de trabalho, de segunda a sábado, é realmente ministério. [...] Sempre que estamos servindo outra pessoa, estamos cumprindo um ministério bíblico!” 1

Se você é pastor de igreja, ministras à sua congregação. Se você é professor, ministra a seus alunos. Se você está dirigindo um ônibus, está ministrando para seus passageiros. Se você está servindo às mesas de um restaurante, está ministrando aos clientes. Assim como o pastor e o professor, todos os profissionais são ministros no seu ambiente de trabalho. Todos os serviços se ajustam claramente ao termo bíblico diakonia.

O cristão precisa ter um profundo sentido ministerial do seu trabalho. Fred Smith disse uma frase muito interessante para descrever isso: “Meu trabalho é minha adoração”.2 Essa não é uma afirmação mecanicista de obrigatoriedade do testemunho cristão; é algo muito mais profundo, pois diz respeito à criação de uma comunhão profunda entre cristianismo e ambiente de trabalho.

"O trabalho é proveniente de Deus; é tão espiritual ou sagrado quanto qualquer outro aspecto da criação original de Deus. [...] Isso mesmo, há uma igreja no ambiente de trabalho - somos essa igreja - e o que fazemos no ambiente de trabalho é considerado ministério, serviço a Deus e até adoração, tanto quanto aquilo que fazemos em nossa igreja aos domingos."3 "Para Deus, o trabalho faz parte de nossa adoração. Faz parte de nosso serviço ao Senhor."4

Portanto, o trabalho, sendo proveniente de Deus, é tão espiritual ou sagrado quanto qualquer outra instituição criada por Deus. Além de sagrado, o trabalho até pode ser considerado uma forma de adoração.

1. Peter Wagner. O cristão no ambiente de trabalho. Vida, 2007, p.102 e 136.
2. Laura Nash citada Peter Wagner, op.cit., p.137.
3. Peter Wagner, op.cit. p. 22, 24.
4. Mark Greene citado por Peter Wagner, op.cit., p. 23.

Related Posts with Thumbnails