Pesquisar no Blog

Valores Espirituais na Empresa

Postado por Roberto Marques,

"Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus." (1Co 10.31)


Sempre se pensou o ambiente de trabalho afastado dos valores espirituais. Na empresa precisamos ser duros, cruéis, cínicos; e na família, bons, compasivos, disponíveis. Nos negócios, egoísta, corrupto, imoral; e na igreja, generoso, justo, santo.

Infelismente muitos dirigentes cristãos vivem uma moral dupla: no trabalho materialistas e na igreja espirituais. Isso é falsidade, hipocrisia. A personalidade não é feita de compartimentos estanques. Não se pode ser "bom" em um lugar e "mau" em um outro. O cristão não pode ser um "demônio" no trabalho e um "santo" na igreja. Jesus foi claro quando disse: "Quem não é por mim é contra mim" (Mt 12.20).

Precisamos glorificar Deus em tudo o que fazemos (1Co 10.31). O trabalho não é algo separado, cortado da vida espiritual, como se fosse outra dimensão. Essa é uma falsa visão dualista grega (Platão) e não bíblica. A prespectiva hebraica (Bíblia) é que "o nosso trabalho é uma forma de ministério. É tão sagrado quanto cantar no coral."1

"No trabalho, como em outras situações, a pessoa consciente [...] deve REUNIR as suas partes, deve superar a cisão entre valores pessoais e valores empresariais; deve, em uma palavra TESTEMUNHAR o seu ser PESSOA justamente no local de trabalho."2

Portanto, a vida passada no local de trabalho deve ser vista e vivida exatamente como a passada fora dele, em casa ou na igreja.
1. Peter Wagner. Os cristãos no ambiente de trabalho. Vida, 2007, p. 19.
2. Valerio Albisetti. Trabalhar com o coração e viver bem na empresa. Paulinas, 2006, p. 43.

Related Posts with Thumbnails