Pesquisar no Blog

Trabalho: fazendo o que gosta

Postado por Roberto Marques,

"E a um deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro um, a cada um segundo a sua capacidade..." (Mt 25 15).

Saiba de uma coisa: quando você nasceu, nasceu com um dom especial, um talento único que só você possui (Is 49.1;Jr 1.5;Mt 25.14-30;Lc 1.42).

O seu dom é algo natural, vocacional. Quando você estiver no centro de sua vocação sentirá prazer no que faz, estudará mais, trabalhará mais, fará melhor, será criativo e alegre. Quando você atender o seu chamado, a auto-suficiência econômica será apenas uma conseqüência natural de estar fazendo a vontade de Deus (Sl 126.5-6;Rm 8.28).

Existem pessoas esperando por aquilo que você recebeu de Deus. Essas pessoas estão famintas e sedentas da sua presença. Elas sofrerão caso você não entre em suas vidas. Elas têm necessidades que somente você pode suprir. Elas pagarão pelo que você tem a lhes oferecer.

É claro que "seguir o seu dom", “fazer o que gosta” é o ideal de todo trabalhador. Porém, o tempo passou e já com uma certa idade você chega à conclusão de que esse sonho dificilmente será atingido. Nessa fase, sem ilusões e culpa, precisa aprender a "gostar do que faz".

Se sua ocupação não é vocacionada, você deve, para não ser infeliz, conferir ao seu trabalho dignidade e significado. Como aquele operário cujo serviço era transportar tijolos e que interrogado sobre o que fazia respondeu com orgulho: “Estou ajudando a construir uma catedral”. Se você está num emprego do qual não gosta, se quer mudar de empresa ou se não agüenta mais seu patrão, deve encontrar consolação ao saber que está ganhando a vida honestamente e sendo útil à sociedade.

Portanto, sempre abençoe a firma, as pessoas que trabalham com você, seus patrões, seu contracheque e todos os que usam o serviço da empresa. Seja entusiasta, sempre. O próprio Jesus nos ensinou: “Se alguém o forçar a andar uma milha, vá com ele duas” (Mt 5.41). Está em seu poder fazer da obrigação uma satisfação.

Então, comece agora, paralelamente à sua ocupação atual, outra atividade que expresse seus talentos naturais de forma criativa e prazerosa. Se você é um executivo financeiro, por exemplo, pode ser músico à noite ou escritor nos fins de semana, sentindo-se realizado e ganhando dinheiro em todas essas atividades.

Há um lugar no mundo onde você florescerá e será feliz profissionalmente. Ocupe-o já!

Related Posts with Thumbnails